11 outubro 2011

Elogio da Velhice


Surgem reunidos pela primeira vez neste volume os mais belos textos dos últimos anos de Herman Hesse.
Cumprida boa parte da obra que o consagrou, Hesse dedica-se aqui ao último desafio da sua longa vida de escritor: aceitar graciosamente a velhice e a proximidade da morte.
Recordações íntimas, pequenos poemas em prosa e em verso, retratos, aforismos, breves tratados filosóficos: tal é a natureza variada dos textos aqui presentes.
O primeiro texto desta colectânea foi escrito aos 43 anos de idade e consiste em impressões acerca da Primavera, o renascer e a renovação da natureza, representadas por um homem a meio da sua vida, consciente da efemeridade e transitoriedade do mundo.
A regeneração da vida que anualmente se repete não é vista como motivo de entristecimento, precisamente porque ele próprio não se encontra já nesse estádio da vida, e sim como uma oportunidade para proceder à transformação e à regeneração interior. 


Faz-nos pensar e acima de tudo, permite-nos identificar com o tipo de caminhada que fazemos, muitas das vezes, sem nos querermos aperceber...

Nenhum comentário: