06 julho 2009

Afectos



Verifica-se uma carência de afectos nos nosso dia-a-dia.
É importante recuperá-los, transmitir aos nossos filhos o quanto é fundamental o afecto, o reconhecimento e reforço. A empatia também é necessária.
Não são somente as crianças que sentem este distanciamento. A vida preenchida, repleta de vazios. Os nossos idosos que tanto nos têm a dar, sentem cada vez mais o distanciamento, sentindo o desinteresse abrupto da sociedade que se desculpa com a falta de tempo.
Que valores passamos nós aos filhos e ente queridos?
É necessário cada um de nós valorizar cada contributo, cada passo e estreitar cada vez mais os afectos entre gentes, desde o mais novo ao mais velho.

Nenhum comentário: